O mercado dos jogos no Brasil

Esta semana a Sony anunciou o lançamento do console PS4 por um preço exorbitante, principalmente quando comparado às tarifas estabelecidas em outros países. Desde então, o assunto gerou muito burburinho nas redes sociais e repercussão internacional e chamou atenção para o tamanho do mercado de jogos no Brasil.

video games

Publicado em 18 de outubro de 2013 / News, Tecnologia da Informação

Esta semana a Sony anunciou o lançamento do console PS4 por um preço exorbitante, principalmente quando comparado às tarifas estabelecidas em outros países. Desde então, o assunto gerou muito burburinho nas redes sociais e repercussão internacional e chamou atenção para o tamanho do mercado de jogos no Brasil.

Os dados sobre jogos por aqui são surpreendentes, o país concentra cerca de 3,1 milhões de video games de última geração, além de uma população de 45 milhões de jogadores — a segunda maior do mundo. O mercado, que em 2011 movimentou R$ 840 milhões e é quarto maior do mundo, crescerá em média 7,1% por ano até 2016 –quando atingirá R$ 4 bilhões.

Apesar do peso nos impostos sobre estes produtos, A arrancada é recente e tem vários motivos: queda nos preços de consoles e de jogos, tradução de títulos para o português e a situação complicada do mercado mundial, que passa por crise financeira e saturação.

Projeto Jogo Justo

Os gamers brasileiros encontram nos altos preços barreiras para se adquirir alguns jogos. No entanto, com o crescimento do mercado no país, tal questão não passou em branco para a Associação Comercial, Industrial e Cultural dos Games — ACIGAMES —, que encabeçou, em 2010, a criação do Projeto Jogo Justo.

Tal iniciativa propõe a redução dos impostos sobre os produtos de video game — que podem ser taxados em até 80% por sua importação. Com isso, o projeto também prevê o combate ao “mercado cinza”, que comercializa produtos que entram no país por contrabando.

Em decorrência, também foi criado o Dia do Jogo Justo, que, em 2011, contou com a venda de mais de 58 mil unidades pelo preço “sem imposto”.

Grandes varejistas, como o Ponto Frio e as Livrarias Saraiva, aderiram aos descontos, e o resultado de tal campanha foi imediato: games como Call of Duty: Black Ops e Castlevania: Lord of Shadows se esgotaram até o final do dia e, nas primeiras horas do evento, foram vendidos, em média, sete jogos por segundo.

Agora é torcer para que o governo brasileiro crie condições mais favoráveis para manter o mercado aquecido.

Fonte: Folha de São Paulo



0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Postagens relacionadas