Como aparecer no topo dos sites de busca

Por Viviane Maia Em janeiro de 2007, quem digitasse a palavra “paintball” no Google não localizava logo nos primeiros resultados a loja de artigos esportivos Gorilaz Paintball. Era preciso muita paciência para chegar à quinta página do buscador e encontrar o endereço virtual da loja paulistana. Um levantamento realizado pela consultoria WBI Brasil, feito com […]


Publicado em 20 de abril de 2009 / SEO – Marketing de busca

Por Viviane Maia

Em janeiro de 2007, quem digitasse a palavra “paintball” no Google não localizava logo nos primeiros resultados a loja de artigos esportivos Gorilaz Paintball. Era preciso muita paciência para chegar à quinta página do buscador e encontrar o endereço virtual da loja paulistana. Um levantamento realizado pela consultoria WBI Brasil, feito com 4.431 pessoas em 2008, concluiu que 64% dos internautas clicam somente nos três primeiros endereços ao pesquisar produtos e serviços. O que fazia com que a Gorilaz Paintball, na maioria das vezes, não chegasse sequer a ser notada pelos consumidores. Mas Douglas Wilhelm, dono da empresa, decidiu mudar essa situação contratando um otimizador, profissional que interfere na arquitetura de sites para melhorar a posição nas pesquisas online. O problema detectado no site era a falta de conteúdo nas páginas eletrônicas e arquivos de imagem que substituíam textos. “Com isso, saltamos da quinta para a primeira página do Google”, diz. “Investimos apenas R$ 500 para mudar e, em dois meses, registramos aumento de 20% nas vendas.”

Para ter uma página nas alturas, especialistas afirmam que é importante misturar tecnologia e marketing aplicados em um conteúdo planejado para o site — trabalho desenvolvido pelos otimizadores, que custa a partir de R$ 200. Para Sandra Moraes, diretora do Yahoo! Search Marketing Brasil, é importante acompanhar o processo de perto. Ela diz que, com o conhecimento do negócio por parte do empresário e da técnica, pelo otimizador, fica mais fácil identificar por quais formas as pessoas podem chegar até o site. “Vale pensar em palavras-chave e trabalhar o conteúdo por categorias.”

André Habib, afirma que muitas vezes, as pessoas chegam à página da empresa na internet por palavras, expressões ou frases que o empresário nunca iria imaginar. Um exemplo: um internauta entra em um site de uma loja de ração depois de digitar as palavras “sabiá azul”. Por isso, ele diz que é importante desenvolver o conteúdo, fugindo de termos de duplo sentido ou pouco específicos e dividir o site como uma espécie de “primeira página de jornal”, que mostra um resumo do que o internauta deve encontrar nesse ambiente. Mas ele aconselha a usar as palavras-chave com moderação. “Os mecanismos de busca sabem identificar tais truques e a punição vai desde a perda de posições até a expulsão do banco de dados”, diz ele.

Michel Sciama, gerente de Adwords do Google, completa que uma página desenhada com a linguagem flash acaba dificultando a monitoração dos mecanismos de busca. Porém, segundo ele, não significa abrir mão de imagens e vídeos. “Essas ferramentas devem ser bem descritas para facilitar a localização desse conteúdo.”

Assim, também, como a troca de links entre endereços virtuais. Para Bernhard Schultze, diretor da SEO Marketing, especializada em sites de busca, é importante ser criterioso ao enviar links para outros sites. Ele aconselha a fugir dos links pagos ou irrelevantes e preferir links recebidos de outros sites de forma espontânea. “Quanto melhor a sua posição nas pesquisas, maior o volume de tráfego e o das suas vendas.”

Fonte: PEGN



0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Postagens relacionadas