Google deve usar empresa de inteligência artifical em setor de buscas

Setor da DeepMind pode focar em reconhecimento de objetos e buscas ainda mais refinadas

robôtica

Publicado em 28 de janeiro de 2014 / SEO – Marketing de busca, Tecnologia da Informação

Ao contrário do que muita gente acreditava, a Google não deve usar a recém adquirida DeepMind, empresa de programação em inteligência artificial, em projetos paralelos a serem desenvolvidos com a empresa de robótica Boston Dynamics, comprada pela gigante em 2013.

Segundo o Re/code, o setor de buscas será o beneficiado pela DeepMind. Isso porque os 50 funcionários que agora fazem parte da Google responderão diretamente a Jeff Dean, veterano de Mountain View na área de pesquisas e sistemas distribuídos.

Fontes ligadas à DeepMind afirmam que ela trabalhava em três projetos antes da aquisição: “um jogo com IA bem avançada, um sistema de recomendação inteligente para comércio online e algo a ver com imagens”. Não se sabe se eles continuarão em andamento na nova casa.

Inteligência sem limites

Há quem diga ainda que a empresa esteja pesquisando há algum tempo por formas de “treinar” softwares para que eles resolvam problemas diversos a partir de algoritmos, mesmo quando a resposta é lenta e indireta (como aprender a jogar um game sem ensinar as regras, obrigando o jogador a dominá-las por tentativa e erro).

Basta ligar os pontos para notar que esse tipo de tecnologia pode ser bastante útil se aplicada às buscas na internet.

Por fim, o novo chefe do departamento, Jeff Dean, já trabalhou em um projeto de reconhecimento de objetos dentro da própria Google.

Será outra prévia do que veremos em um futuro próximo?

Fonte: TecMundo



0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Postagens relacionadas