Tecnologia da Informação e o consumo colaborativo

No dia mundial do meio ambiente, a sustentabilidade entra em pauta. O século XXI fortaleceu a tendência de sustentabilidade, definida como ações desenvolvidas pelo setor publico, privado e população de modo que supram suas satisfações de consumo presentes sem comprometer as capacidades de gerações futuras. Na prática, esse pensamento precisa ser aprimorado. Entretanto, a preocupação […]


Publicado em 5 de junho de 2013 / Marketing Digital para E-commerce, News, Tecnologia da Informação

No dia mundial do meio ambiente, a sustentabilidade entra em pauta. O século XXI fortaleceu a tendência de sustentabilidade, definida como ações desenvolvidas pelo setor publico, privado e população de modo que supram suas satisfações de consumo presentes sem comprometer as capacidades de gerações futuras.

Tecnologia da Informação e o consumo colaborativo

Na prática, esse pensamento precisa ser aprimorado. Entretanto, a preocupação com sustentabilidade tem norteado programas e projetos empresariais e governamentais a fim de desenvolver consciência onde a inteligência colaborativa contribua para a geração de ideias sustentáveis que preservem a vida no planeta.

Neste sentido, as TIC’s (tecnologias da informação e comunicação), também vêm contribuindo, de certa forma, com o desenvolvimento de tecnologia limpa para diminuir custos e aumentar a produtividade.

As práticas de T.I Verde podem ser definidas como uma tendência mundial voltada para o impacto dos recursos tecnológicos no meio ambiente, mantendo a preocupação em encontrar meios mais eficiente de utilização de energia e produção de tecnologia.

O desenvolvimento da T.I, sobretudo, com a filosofia de sustentabilidade, vem contribuindo para o desenvolvimento do consumo colaborativo em que se valoriza maneiras mais consciente de consumo para gerar receita.

    Entenda mais sobre as práticas de T.I Verde

  • TI Verde de incrementação tática (consumo cosciente)
  • Não modifica a infra-estrutura de TI nem as políticas internas, apenas incorpora medidas de contenção de gastos elétricos excessivos. São exemplos, o uso de monitoramento automático de energia disponível nos equipamentos, o desligamento dos mesmos nos momentos de não-uso, a utilização de lâmpadas fluorescentes e a otimização da temperatura das salas. Estas medidas são simples de serem implementadas e não geram custos adicionais às empresas;

  • TI Verde Estratégico
  • Exige a convocação de uma auditoria sobre a infra-estrutura de TI e seu uso relacionado ao meio-ambiente, desenvolvendo e implementando novos meios viáveis de produção de bens ou serviços de forma ecológica. São exemplos, a criação de uma nova infra-estrutura na rede elétrica visando à sua maior eficiência e sistemas computacionais de menor consumo elétrico (incluindo novas políticas internas e medidas de controle de seus descartes). Além da preocupação com a retenção de gastos elétricos, o marketing gerado pelas medidas adotadas pela marca é também levado em consideração

  • Deep IT (TI Verde “a fundo”)
  • Mais amplo que os dois primeiros, incorpora o projeto e implementação estrutural de um parque tecnológico visando a maximização do desempenho com o mínimo gasto elétrico; isto inclui projetos de sistemas de refrigeração, iluminação e disposição de equipamentos no local com base nas duas primeiras estruturas anteriores.

É o mundo tecnológico repensando suas ações em prol do bem estar e economia dos recursos financeiros.



0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Postagens relacionadas