Twitter completa 8 anos com números gigantes, olho nos brasileiros e preocupação com o Marco Civil

A rede social divulgou alguns números expressivos sobre a operação da empresa e revelou o que está fazendo e o que deve fazer nos próximos meses para continuar crescendo.

twitter niver

Publicado em 21 de março de 2014 / Mídias Sociais, Mobile, News, Tecnologia da Informação

Faz um tempão: no dia 21 de março de 2006, o cofundador Jack Dorsey publicava o primeiro tweet para testar o novo serviço de microblog, na época chamado apenas de “twttr”, um nome assassino de vogais inspirado no Flickr.

Oito anos depois, mais de 300 bilhões de tweets foram enviados. A empresa abriu o capital na bolsa de valores de Nova York, tem 2.700 funcionários em todo o mundo e possui não um, mas dois escritórios no Brasil.

Nesta semana, o Twitter fez uma coletiva de imprensa em São Paulo para comemorar os oito anos da rede social.

A reunião também serviu para festejar o primeiro ano de operação do Twitter Brasil, que iniciou suas atividades em novembro de 2012.

Números gigantes

Primeiro, vamos aos números gigantes: o Twitter informou que possui mais de 241 milhões de usuários ativos por mês, sendo que 76% deles também acessam a rede social através de aplicativos para dispositivos móveis. Nesse caso, ser ativo não implica enviar tweets: o Twitter diz que 40% dos usuários não publicam nada, mas acompanham o que os outros dizem.
Quanto aos usuários e ao conteúdo, o Twitter tem:

  • 300 bilhões de tweets enviados até hoje;
  • 500 milhões de tweets enviados todos os dias;
  • 241 milhões de usuários ativos por mês;
  • 77% das contas são de usuários fora dos EUA;
  • 400 milhões de visitantes únicos por mês no Twitter.com.

Cerca de 1.500 pessoas trabalham na sede do Twitter em San Francisco. A empresa, cada vez maior, possui 2.700 funcionários em todo o mundo, sendo que, quando algum evento importante acontece, ou algo popular está sendo transmitido na TV, a atividade no Twitter naturalmente aumenta. Tanto que foram enviados mais de:

  • 4,9 milhões de tweets sobre o Carnaval no Brasil;
  • 2,5 milhões de tweets sobre Amor à Vida;
  • 1 milhão de tweets na primeira semana do BBB 14;
  • 200 mil tweets na final de The Voice Brasil;
  • 1,7 milhão de tweets sobre o sorteio da Copa do Mundo;
  • 24,9 milhões de tweets sobre o Super Bowl;
  • 17,1 milhões de tweets sobre o Oscar até 10 minutos após o show.

Mais smartphones nas mãos dos brasileiros

Guilherme Ribenboim, diretor-geral do Twitter Brasil, diz que os brasileiros estão acessando cada vez mais a rede social através de dispositivos móveis.

Na época em que o escritório da empresa foi aberto em São Paulo, apenas 40% dos brasileiros entravam no Twitter por meio dos aplicativos. Hoje, o índice está em 64,7%, o que é um número expressivo, mas ainda abaixo da média mundial, de 76%.

Twitter dá atenção aos smartphones mais usados pelos brasileiros (inclusive o Galaxy Y)

No Brasil, um dos dispositivos mais usados para acessar o Twitter é o Galaxy Y, smartphone de entrada com especificações de hardware abaixo do ideal para oferecer uma experiência de uso decente.

Ele não avançou além do Android 2.3 e é uma das principais fontes de comentários negativos em reviews de aplicativos no Google Play, geralmente de proprietários irritados que reclamam de lentidões e travamentos.

Pelo menos no Twitter, o Galaxy Y e outros aparelhos simples são acompanhados de perto: a empresa informou que faz várias otimizações para que o aplicativo funcione com telas pequenas, pouco armazenamento e RAM limitada.

Twitter como segunda tela

Hoje, o Twitter funciona como segunda tela: muitas pessoas assistem TV e mantêm a rede social aberta no smartphone, tablet ou notebook. A rede social está querendo fazer parcerias com empresas de TV por assinatura para reforçar essa tendência. A indiana Airtel, por exemplo, já permite que os clientes acompanhem em tempo real tweets sobre o programa que estiver passando na TV.

Por meio de parcerias, o Twitter pode funcionar até mesmo como um medidor de audiência em tempo real. A foto abaixo mostra alguns dos programas e séries da TV norte-americana e a quantidade de menções que as atrações estão recebendo no Twitter:

Marco Civil: neutralidade da rede e guarda de dados no Brasil

Sobre o Marco Civil da Internet, projeto de lei para regulamentar a internet no Brasil que tem votação prevista para a próxima terça-feira (25), Ribenboim defende a neutralidade da rede. “O Twitter acredita que o usuário deva ser protegido e tenha totais de condições de acessar o que quiser, na hora que quiser, de uma maneira aberta e democrática, e que as empresas que fazem parte desse ecossistema possam estar protegidas para que elas possam prestar seus serviços”, diz o executivo.

Ribenboim demonstrou preocupação com a obrigatoriedade da guarda de dados em servidores no Brasil. “Temos o receio de que, caso exista essa obrigatoriedade, isso iniba a inovação. Não só para o Twitter, mas para todo o mercado brasileiro”.

Para alívio do Twitter e das outras empresas de internet, essa proposta está sendo revista, uma vez que partidos da base aliada acreditam que isso significaria um controle excessivo da internet pelo governo.

Fonte: tecnoblog



0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Postagens relacionadas