Utilização da internet no trabalho: uma questão de bom senso

Funcionários produzem mais se puderem utilizar a Internet para a diversão durante o expediente. A afirmação é polêmica e pode desagradar a muitos chefes, mas esse é o resultado de uma recente pesquisa realizada pela Universidade de Melbourne, na Austrália. O estudo apontou que a navegação na Web por diversão aumenta os níveis de concentração […]


Publicado em 21 de maio de 2009 / News

Funcionários produzem mais se puderem utilizar a Internet para a diversão durante o expediente. A afirmação é polêmica e pode desagradar a muitos chefes, mas esse é o resultado de uma recente pesquisa realizada pela Universidade de Melbourne, na Austrália. O estudo apontou que a navegação na Web por diversão aumenta os níveis de concentração e torna o trabalho mais produtivo.

A pesquisa aponta ainda que as pessoas que navegam dentro de um limite de menos de 20% do tempo de trabalho são mais produtivas, rendendo cerca de 10% a mais em comparação com aquelas que não têm contato com a Internet. Essa tendência surge num período em que grandes empresas fazem altos investimentos em Tecnologia da Informação a fim de impedir o acesso de colaboradores a e-mails pessoais, blogs, páginas de relacionamento e sites de entretenimento como o YouTube.

Esse é de fato um tema polêmico. Acredito que a produtividade de quem necessita acessar informações e conhecimentos para produzir resultados deva mesmo aumentar, dadas as facilidades e possibilidades quase ilimitadas da Web e a quantidade de informações interessantes ao alcance do usuário. Porém, o desafio do gestor e do colaborador está em dosar o uso dessa ferramenta para que esse benefício se reverta em resultados positivos para a empresa.

Seria até falta de sensatez defender o cerceamento da utilização da Internet no trabalho, haja vista que, bem utilizada, é uma ferramenta de otimização, comunicação e interatividade. Ela aumenta capacidades, aproxima pessoas e democratiza a informação e o conhecimento.

Além disso, a Internet cria um senso de urgência, de estar “plugado”, de ler e ser lido, de ver e ser visto. Todos querem estar atualizados. Alguns, ao ficar uma hora sem acessar a rede, têm a sensação de estar perdendo alguma coisa. A informação de uma hora atrás já é antiga. Todavia, a responsabilidade deve estar presente no comportamento de quem usa a web no trabalho, pois é muito fácil, ao navegar na Internet, perder o foco e esquecer o bom senso.

Ao gestor moderno resta a tarefa de se adaptar às inovações do seu tempo. O uso da Internet tem alguns “efeitos colaterais”, como o consumo acrítico de informação, a distração, a falta de foco e a dificuldade de transformar informação em conhecimento. Essa é, sem dúvida, uma questão delicada, já que o funcionário pode se dispersar muito facilmente ao longo do dia, influenciando de forma negativa a obtenção das metas.

O ideal seria poder contar com a responsabilidade dos colaboradores de forma que usem essa poderosa ferramenta nas horas de trabalho para agregar valor à sua atividade profissional e, nas horas de folga e após o expediente, para tratar de assuntos pessoais e se divertir. O acesso à Internet com responsabilidade e bom senso pode confirmar o que diz a pesquisa: trazer resultado profissional e aumento da produtividade.

Fonte: Imasters



0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Postagens relacionadas